terça-feira, 28 de agosto de 2012

Hans Jaeger, liberação sexual e anarquismo

O quadro abaixo foi feito por Edvard Munch e retrata o amigo Hans Jaeger em 1889. Escritor e anarquista norueguês, Jaeger começou a estudar filosofia em 1875, depois de abandonar o ofício de vendedor. Em 1878, publica sua primeira obra filosófica, um ensaio sobre Kant. Segundo sua biografia, começou, no final da década de 1880, a posicionar-se a favor do "amor livre", defendendo, por exemplo, as prostitutas. Seus seguidores, da classe alta, formaram o grupo chamado "Kristiania bohemes", cujo maior objetivo era "elevar a importancia da sexualidade". Elas desejavam total liberdade sexual entre os sexos, principalmente nas classes sociais mais elevadas. Obviamente, lutavam também pela abolição do casamento.

Em 1885, os Kristiania publicaram seu primeiro livro, por meio do qual atacavam três grandes instituições que, na visão deles, eram as principais responsáveis pela miséria do mundo: o cristianismo, a moral e a velha concepção de Justiça. Evidentemente, o livro foi atacado e logo confiscado, inclusive em outros países, como a Suécia.

Mais tarde, Jaeger foi um dos cabeças-chave na elaboração do manifesto impressionista.

Só a título de curiosidade, Kristiania era o nome da pequena cidade de onde vieram Jaeger e seus seguidores. Originalmente, a cidade era conhecida por Oslo, nome que só viria a ser restaurado em 1929. Com o crescimento econômico de Kristiania, a cidade passou a receber muitos estudantes, e o grupo de Jaeger tornou-se popular entre os radicais e anarquistas.

A história completa está aqui, em inglês.

Hans Jaeger




Nenhum comentário:

Postar um comentário