terça-feira, 28 de agosto de 2012

Sete anos depois, Isaac traz o fantasma do Katrina

É com tristeza que acompanho as notícias sobre Isaac, a tempestade que já se tornou furacão, e que está estacionado no Estado da Louisiana. As previsões estavam certas: a tempestade se transformou em furacão nesta terça-feira, enquanto seguia pelo Golfo do México, já trazendo estragos no sudoeste da Louisiana, onde foram registradas enchentes. o noticiário informa que o furacão já tocou o solo do Estado, com ventos a 130 Km/h.

As coincidências assustam. Há exatos 7 anos - 29 de agosto de 2005 - outro furacão, o Katrina, acabou com o entorno da região metropolitana de New Orleans, alcançando velocidade de mais de 250 Km/h, causando danos de mais de 80 bilhões de dólares e acabando com a vida de milhares de famílias, que até hoje não conseguiram recuperar o que perderam.

O Isaac tem origem nas águas de Porto Rico, em 21 de agosto. Ao contrário dele, o Katrina ganhou velocidade muito mais rápido: a tempestade foi nomeada em 24 de agosto de 2005, quando ainda era uma tempestade tropical de 105 Km/h. Katrina tornou-se um furacão de escala 5 logo no dia seguinte, 25. No caso do Isaac, passados 8 dias de seu surgimento, ele ainda era tempestade até ontem. Agora, já se encontra na escala 1.

Os moradores de New Orleans, no entanto, sabem que, seja escala 1 ou 5, o momento é de prevenção, e já começaram a reforçar casas ou procurar abrigos.

Em ano eleitoral, o furacão atingirá também o andamento das campanhas. O presidente Obama já declarou estado de emergência em Louisiana, Mississipi, Alabama e Flórida. Acontece que é na Flórida que acontece, a partir desta terça, a convenção do Partido Republicano, onde será oficializada a candidatura de Mitt Romney à presidência.

Hurricane katrina, Hurricane Isaac
Fonte da imagem: livescience.com

O evento não foi cancelado. Romney deverá fazer um discurso agressivo para conquistar votos, mas também terá que evitar o clima de festividade, uma vez que a tensão devido ao furacão estará no limite.

De volta ao olho do furacão, em relação ao tamanho de Isaac, estima-se mais de 644Km. o Katrina também chegou nessa marca.

Todo o pânico aumenta quando vemos os estragos que o Isaac já fez: danificou 2.346 casas, destruiu 335 e causou 24 mortes no Haiti. E agora provoca tormentos nas águas da Louisiana, mas encontra-se estacionado na costa do Estado.

Entre 2008 e 2009 tive a oportunidade de morar numa cidadezinha bem próxima a New Orleans, chamada Pineville. Lá, conheci pessoas que moravam na terra do jazz quando o Katrina passou por lá. Perderam casa, carro, familiares. Buscaram nas cidades do entorno de New Orleans, muitas delas sem estrutura para receber tanta gente, novos empregos. A dor era muito latente passados três anos da tragédia. E ainda deve ser.

Em New Orleans, fiquei hospedado em um albergue lotado. Consegui um quarto só para mim, mas acabei conhecendo alguns hóspedes que chegaram lá depois do Katrina. Dentre eles, um senhor de idade, que ficou conversando comigo durante horas, enquanto assistiamos TV. Ele tinha uma casa, mas depois do furacão, dividia um grande quarto do albergue com jovens que lá passam todos os anos. Disse-me que não recebera, até aquele momento, nada do governo, mas que tinha esperança em Obama, que havia acabado de tomar posse.

Quando peguei voo rumo à Chicago, sobrevoei pela parte afetada pelo Katrina. Era um cenário triste, um deserto, com madeira no chão - de casas - e pouca esperança.

Sete anos depois, aproxima-se o Isaac. Que os problemas que ele pode causar não sejam maiores que o descaso político que costuma vir na sequencia, depois de terminadas as eleições.

Nenhum comentário:

Postar um comentário