quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

NYT em 1911: a exploração do Brasil desconhecido

No site do The New York Times é possível acessar textos desde quando o jornal foi fundado, em 18 de setembro de 1851. É praticamente incontrolável, para não dizer viciante, querer buscar coisas interessantes que foram publicadas muitos anos atrás. Em uma dessas buscas, por exemplo, encontrei uma pequena nota, "To explore unknown Brazil", do dia 1º de fevereiro de 1911, falando sobre uma expedição que estava sendo montada para desbravar o Brasil profundo, especialmente o Mato Grosso.

A notícia conta que o governo brasileiro havia destinado $10 mil (creio que dólares) para cobrir as despesas de uma expedição liderada pelo famoso explorador inglês Arnold Henry Savage Landor, que também foi pintor e escritor. Landor e equipe iriam atravessar o 11º paralelo de latitude, entre os rios Araguaia e Madeira.O registro diz que o "país" que será explorado é o Mato Grosso, "cinco vezes o tamanho da Itália e três vezes o da França".

Manchete e introdução do artigo sobre a expedição, publicado no New York Times  no dia 1º de fevereiro de 1911

A nota também traduz o significado da palavra Mato Grosso para o inglês: "dense forest" (floresta densa, na tradução livre). Destaco um trecho:

"Agora, 400 anos depois que o primeiro homem branco penetrou a região, ela ainda é praticamente toda coberta por floresta, sendo que boa parte não foi explorada. A região foi visitada pela primeira vez por um paulista, Manoel Correa, um dos mais famosos aventureiros conhecidos como 'bandeirantes', que, a partir de São Paulo, carregaram a fama de sua proeza e crueldade, para os mais remotos recessos do continente sul-americano".

E a notícia finaliza contextualizando:

"No século 18, a descoberta de ouro atraiu para o Mato Grosso um grande número de aventureiros, que encontraram certa oposição dos indígenas e foram vitimados por doenças. Acredita-se que o território seja rico em minerais. Arqueólogos esperarão avidamente por notícias do senhor Landor, talvez sobre notáveis e misteriosas relíquias de civilizações antigas, que devem ter povoado a região do rio Araguaia".


O inglês Landor ornado com gatos

Agora uma pergunta que não quer calar: o governo brasileiro tinha que chamar um inglês para fazer isso? Não havia ninguém daqui mesmo para conduzir a exploração? E essa informação de que "acredita-se que o território seja rico em minerais", estampada no NYT? Não poderiam ter evitado a divulgação de um assunto tão estratégico?

Bem, no final disso, Landor publicou, em 1913, o livro Across Unknown South America, um trabalho antropológico de primeira, com fotos e descrições de suas expedições pelo continente.

Você pode acessar a obra aqui, no The Project Gutenberg.

Nenhum comentário:

Postar um comentário