quarta-feira, 6 de março de 2013

A demonização de Hugo Chávez

Este post compartilha um pequeno texto do escritor uruguaio Eduardo Galeano - autor da obra-prima As veias abertas da América Latina - sobre o presidente Hugo Chávez, morto ontem (05) vítima de um câncer. O texto foi publicado no site Pragmatismo Político.

* * *
hugo chávez eduardo galeano demônio
Chávez e Galeano
“Há uma demonização de Hugo Chávez. Quando for ler uma notícia, você deve traduzir tudo. O demonismo tem essa origem, para justificar a diabólica máquina da morte”

Hugo Chávez é um demônio. Por quê? Porque alfabetizou 2 milhões de venezuelanos que não sabiam ler nem escrever, mesmo vivendo em um país detentor da riqueza natural mais importante do mundo, o petróleo.

Eu morei nesse país alguns anos e conheci muito bem o que ele era. O chamavam de “Venezuela Saudita” por causa do petróleo. Havia 2 milhões de crianças que não podiam ir à escola porque não tinham documentos… Então, chegou um governo, esse governo diabólico, demoníaco, que faz coisas elementares, como dizer: “As crianças devem ser aceitas nas escolas com ou sem documentos”.

Aí, caiu o mundo: isso é a prova de que Chávez é um malvado malvadíssimo. Já que ele detém essa riqueza, e com a subida do preço do petróleo graças à guerra do Iraque, ele quer usá-la para a solidariedade. Quer ajudar os países sul-americanos, e especialmente Cuba.

Cuba envia médicos, ele paga com petróleo. Mas esses médicos também foram fonte de escândalo. Dizem que os médicos venezuelanos estavam furiosos com a presença desses intrusos trabalhando nos bairros mais pobres. Na época que eu morava lá como correspondente da Prensa Latina, nunca vi um médico.

Agora sim há médicos. A presença dos médicos cubanos é outra evidência de que Chávez está na Terra só de visita, porque ele pertence ao inferno. Então, quando for ler uma notícia, você deve traduzir tudo.

O demonismo tem essa origem, para justificar a diabólica máquina da morte.

* * *

Em tempo:

- O jornalista Bob Fernandes, do Terra Magazine, publicou em poucas horas dois excelentes artigos sobre Hugo Chávez, quem conheceu de perto e teve a oportunidade de entrevistar. Recomento a leitura. O primeiro, Chávez provocou amor e ódio, idolatria e nojo, e o segundo, Chávez, o homem que viveu múltiplos personagens.

- Outras duas dicas pesco do blog do professor José Salvador Faro: 1) o Dossiê: Valeu, Chávez, publicado no Outras Palavras; 2) o artigo publicado pelo jornal espanhol La Vanguardia

- Ontem, a TV Cultura reprisou o Roda Viva com Chávez, gravado em 2005. Vale a pena assistir ao vídeo para entender como o venezuelano tinha senso político refinado, cabeça de estrategista, muito longe de ser o satanás. 



- E, por fim, o documentário A revolução não será televisionada, que fala sobre a tentativa fracassada de golpe contra Chávez em 2002.

Nenhum comentário:

Postar um comentário