segunda-feira, 10 de novembro de 2014

A lição do índio a um cientista

A história abaixo foi contada pelo biogeoquímico Antonio Nobre, do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), na apresentação que fez na conferência TED Amazônia, em 2010.

Uns anos antes, Nobre havia escutado a declamação de um texto de Davi Kopenawa, um sábio representante do povo Yanomami, que dizia o seguinte:

"Será que o homem branco não sabe que se ele tirar a floresta vai acabar a chuva? E se acabar a chuva, ele não vai ter o que beber e o que comer?"

Nobre conta que ficou surpreso com a fala do índio. Afinal, cientistas como ele vem pesquisando o assunto há décadas, utilizando super computadores, e só recentemente começam a chegar a essa conclusão. "Eles, os indígenas, já sabem disso bem antes de nós", disse Nobre.

Um fato curioso, destacado pelo cientista, é que os Yanomami nunca desmataram. Assim, como podem saber que o desmatamento acaba com as chuvas?

Nobre ficou com isso na cabeça, até o dia em que pode se encontrar com Davi Kopenawa em um evento. Nobre fez, então, a pergunta a Davi: "Como você sabia que tirando a floresta as chuvas acabariam?"

"O espírito da floresta nos contou", respondeu Davi.

Para Nobre, essa explicação foi um marco. Por que fazer toda essa ciência, para chegar a uma conclusão que o povo indígena já sabe?

A conclusão de Nobre é surpreendente, visto que vem da boca de um representante da ciência:

"E aí me bateu algo absolutamente crítico. Nós, a sociedade ocidental, precisamos ver as coisas. Essa sociedade, que está se tornando global, civilizada, precisa ver, pois se não vê, não registra. Vivemos na ignorância. Vivemos num cosmos desconhecido, somos ignorantes, estamos tripudiando esse cosmos maravilhoso, que nos dá morada e abrigo. A Terra é uma improbabilidade estatística."




Nenhum comentário:

Postar um comentário